21/01/2010

Sobre El-Rei Junot pelo prof. Joaquim Moedas Duarte

Raul Brandão está um pouco esquecido mas podemos dizer que ele é um existencialista avant la lettre, isto é, olhou o passado e o presente com uma perspectiva desencantada mas de um enorme humanismo, de uma tocante compaixão para com a natureza humana, a braços com a morte de Deus e à procura de um outro Deus. A sua visão do mundo tem algo de profético e encaixa-se perfeitamente nas interrogações do homem contemporâneo...

A escolha deste livro, no contexto da evocação da Guerra Peninsular, visa, julgo eu, dar uma perspectiva de análise diferente e mais profunda do que a mera descrição hstórica em que tantas vezes caímos.

2 comentários:

Avelaneira Florida disse...

E ao abordar esta temática, no universo de Raul Brandão,as Invasões permitem contrapor diferentes maneiras de sentir e viver quotidianos do séc. XIX...

Lá estaremos!!

M.C.

Méon, disse...

Também conto lá estar!!